top of page

ARQUITETURA BRUTALISTA

Profissional: Mayresse Arquitetura

Localização: Gramado, RS

No alto de uma colina na Serra Gaúcha, dois volumes em concreto aparente e desencontrados sobressaem-se em meio às copas das araucárias




Uma fachada de concreto aparente e ripados de madeira garante a privacidade do coração da residência: a área social aberta para um mar de verde formado pelas copas das árvores.

Salas de estar e jantar integram-se com o gourmet, possibilitando que a maior parte do tempo em que os moradores estejam na casa, sejam banhados pelo visual da natureza.

A Casa Terras Altas é banhada por luz natural em abundância que perpassa os ambientes, conectando-os ao exterior.

A brutalidade do concreto aparente soma-se ao minimalismo das grandes aberturas de vidro.

A paisagem exuberante emoldura a construção modular.

Ambientes arejados e em total sintonia com o exterior.

Espaços integrados ampliam a sensação de bem-estar.

Área gourmet tem vista privilegiada para a piscina.

Todos os ambientes de maior uso da Casa Terras Altas foram posicionados para apreciação da vista e do pôr do sol.

O lote com declive acentuado garantiu vista eterna para a natureza, segurança e privacidade à casa de veraneio.

A escada linear que leva à área íntima é iluminada por uma zenital que acompanha seu movimento e evidencia os degraus de madeira natural.

A presença da madeira nos ambientes valoriza o conforto e o aconchego.

Na área íntima, são três suítes conectadas por um corredor.

As suítes possuem varandas com vista eterna para o vasto jardim natural da área de preservação ambiental.

As aberturas emolduram a beleza da Serra Gaúcha.

A ampla varanda garante a vista de cartão-postal.

A casa de veraneio é ideal para momentos contemplativos e também para os introspectivos.

A piscina de borda infinita funde-se ao cenário serrano.

A estrutura debruça-se sobre a paisagem e propicia ângulos de observação incríveis.


Projeto arquitetônico: Mayresse Arquitetura

Localização: Gramado, RS

Fotógrafo: Cristiano Carniel /Divulgação

Texto Janaína Silva @janainass



















bottom of page